Faculdade

Departamento

Miguel Moreno-Azanza

Investigador
4.39

Miguel Moreno-Azanza é paleontólogo com uma vasta experiência em Geologia e Cristalografia e com especial interesse na evolução de vertebrados e biomateriais. É especialista na análise da estrutura de ovos fósseis e no estudo da biomineralização de cascas de ovos fósseis e actuais. O foco central da sua investigação tem sido a análise da distribuição espacial e temporal do registo de diferentes morfotipos de cascas de ovos durante o Cretácico. Desenvolveu um procedimento experimental inédito através do EBSD (Electron Back Scattered Difraction) para a caracterização da estrutura de cascas de ovos fósseis e para explorar os processos envolvidos na formação e fossilização de cascas de ovos. É licenciado em Geologia pela Universidad de Zaragoza (Aragão, Espanha) e recebeu em 2014 o título de doutor em Ciências da Terra também pela Universidad de Zaragoza. Atualmente, ele é investigador de pós-doutoramento na FCTUNL (Caparica, Portugal), onde lidera o projeto de investigação  PTDC/CTA-PAL/31656/2017 “Applying microtextural analysis and geochemistry to explore phylogeny and functional adaptation in archosaurian eggshells”. É também colaborador do Museu da Lourinhã (Lourinhã, Portugal) e do Grupo de Investigación de Vertebrados do Mesozoico e Quaternário de la Universidad de Zaragoza, Aragosaurus (Aragão, Espanha).

Miguel Moreno-Azanza participou em diversas campanhas de prospeção e escavação paleontológicas, tendo dirigido os trabalhos em diferentes jazidas com restos de ovos, incluindo a recente escavação (2020) de uma jazida do Cretácico Superior na região dos Pirenéus que preserva uma extensa área de nidificação de dinossáurios ou a escavação e recolha (2019) de um ninho com diversos ovos de um dinossáurio carnívoro, descoberto em níveis do Jurássico Superior na Praia do Caniçal (Lourinhã). Colaborou também em diferentes trabalhos de escavação de dinossáurios em Espanha (Burgos, Cuenca, Huesca e Teruel), Marrocos e Portugal. É autor e co-autor de mais de três dezenas de publicações em revistas do Science Citation Index (SCI) e participou em mais de setenta encontros científicos, incluindo como orador convidado em congressos nacionais e internacionais, em Espanha, Portugal, Argentina, Japão e China.

Áreas Científicas

Paleontólogo, ovos, biomineralização

Publicações Representativas

 

1.     Choi, S et al. (5/2) (2020). Comparative crystallography suggests maniraptoran theropod affinities for latest Cretaceous european ‘Geckoid’ eggshells. Papers in Palaeontology, 63, 1-28. Q1: Yes

 

2.     Guillaume, A. R. et al. , O. (4/2) (2019). Palaeobiodiversity of crocodylomorphs from the Lourinhã Formation based on the tooth record: insights into the palaeoecology of the Late Jurassic of Portugal. Zoological Journal of the Linnean Society. zlz112. Q1: Yes

 

3.     Aurell, M.; et al. (13/9). 2019. Kimmeridgian–Berriasian stratigraphy and sedimentary evolution of the central Iberian Rift System (NE Spain) Cretaceous Research. 103, pp.104153-104153. ISSN 0195-6671. Q1: Yes

 

4.     Díaz-Berenguer. E.-; et al. 2018 (4/3). First adequately-known quadrupedal sirenian from Eurasia (Eocene, Bay of Biscay, Huesca, northeastern Scientific Reports. Nature publishing group. 8-5127, pp.1-13. Q1: Yes

 

5.     Moreno-Azanza, M.; et al. (4/1) 2017. The conservative structure of the ornithopod eggshell. Electron backscatter diffraction characterization of Guegoolithus turolensis from the Early Cretaceous of Spain Journal of Iberian Geology. Springer. 43-2, 235-243.

 

6.     Gasca, José M.; et al. (7/2). 2017. Integrated overview of the vertebrate fossil record of the Ladruñán anticline (Spain): Evidence of a Barremian alluvial-lacustrine system in \{NE\} Iberia frequented by dinosaurs Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology. 472, pp.192-202. ISSN 0031-0182. Q1: Yes

 

7.     Moreno-Azanza, M; et al. (5/1). 2016. Combined Use of Electron and Light Microscopy Techniques Reveals False Secondary Shell Units in Megaloolithidae Eggshells PLoS ONE. Public Library of Science. 11-5, pp.1-17. Q1: Yes

 

8.     Moreno-Azanza, M.,; et al. (4/1). 2014. A re-evaluation of aff. Megaloolithidae eggshell fragments from the uppermost Cretaceous of the Pyrenees and implications for crocodylomorph eggshell structure Historical Biology: An International Journal of Paleobiology. Taylor & Francis Group. 26-2, pp.195-205. ISSN 0891-2963.

 

9.     Moreno-Azanza, M.; Canudo, JI; Gasca, JM. (3/1). 2014. Spheroolithid eggshells in the Lower Cretaceous of Europe. Implications for eggshell evolution in ornithischian dinosaurs.Cretaceous Research. Elsevier. 51, pp.75-87. ISSN 0195-6671. Q1: Yes

 

10.  Moreno-Azanza, M.a; et al. (4/1) 2013. Growth mechanisms in dinosaur eggshells: An insight from electron backscatter diffraction Journal of Vertebrate Paleontology. 33-1, pp.121-130. ISSN 0272-4634. Q1: Yes

 

 

Websites

ORCID