Faculdade

Notícias

Extinção do final do Cretácico em novo estudo pela FCT NOVA

25-02-2018

Novo estudo aborda a extinção dos vertebrados no K/Pg (Cretácico -Paleogénico) de Espanha, liderado por Eduardo Puértolas-Pascual da Universidade Nova de Lisboa.

Há 66 milhões de anos, um evento alterou o clima, ecossistema e a química das águas e ares a nível global. Muito se debate qual a causa e duas teorias prevalecem: i) intensa actividade vulcânica e ii) impacto de um meteorito. Seja qual for a causa, a consequência foi uma alteração profunda e indelével nos ecossistemas de tal forma que o cortejo de fauna e flora mudou para sempre, numa extinção em massa, deixando para trás o Cretácico (simbolo convencionado: K) e entrando no Paleogénico (Pg). O K/Pg é um momento, uma transição, de duas grandes eras: do Mesozóico para o Cenozóico. Até há poucos anos usava-se o termo Terciário (T), mas foi recentemente substituído por Paleogénico, daí usar-se actualmente K/Pg em vez de K/T.

Um novo estudo liderado por Eduardo Puértolas-Pascual da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, publicado na prestigiada revista Cretaceous Research fornece mais informações sobre a cronoestratigrafia e novos sítios vertebrados do Maastrictiano superior de Huesca (Espanha) e a sua relação com o limite K/Pg.

A Formação de Tremp a sul dos Pirinéus, em Espanha, contêm um dos melhores registros de vertebrados continentais do Cretácico Superior na Europa. Esta área dos Pirenéus é, portanto, um local excepcional para estudar a extinção de vertebrados continentais através do limite K/Pg, sendo um dos poucos lugares na Europa que tem um registro relativamente contínuo que varia desde o Campaniano Superior ao Eoceno inferior. A área de Serraduy tem abundantes restos de vertebrados, destacando-se a presença de dinossauros hadrosaurídeos e crocodilomorfos.

Crocodilomorfos do Cretácico de Tremp: A: dentes de cf. Thoracosaurus. B e C: dentes de Allodaposuchidae. D. vértebra. E: crânio de Agaresuchus subjuniperus. (Puértolas-Pascula et al. (2018)

 

Cronologia da região estudada por Puértolas-Pascual et al. 2018.

Puértolas-Pascual et al. (2018) apresentam um estudo detalhado estratigráfico, magnetostratigráfico e bioestratigráfico pela primeira vez nesta área, possibilitando a atribuição da maioria dos sites de vertebrados da região de Serraduy, uma idade Maastrichtian terminal. Estes resultados confirmam que os sítios vertebrados de Serraduy estão entre os mais modernos do Cretácico Superior na Europa, sendo muito próximos do limite K / Pg.

 Puértolas-Pascual, E., Arenillas, I., Arz, J.A., Calvín, P., Ezquerro, L., GarcíaVicente, C., Pérez-Pueyo, M., Sánchez-Moreno, E.M., Villalaín, J.J., Canudo, J.I., Chronostratigraphy and new vertebrate sites from the upper Maastrichtian of Huesca (Spain), and their relation with the K/Pg boundary, Cretaceous Research (2018), doi: 10.1016/j.cretres.2018.02.016.

Navegação