Física I

Equipa docente:    
Outro departamento - Responsável
 
Cursos:    
Licenciatura em Engenharia Geológica - 1º Ano
 
Objectivos:    

A disciplina de Física I tem a perspectiva de um curso de Física Geral, abordando principalmente a Mecânica Newtoniana. É constituída por aulas teóricas e por aulas laboratoriais de execução experimental. Com as aulas teóricas pretende-se a compreensão dos conceitos e das leis da Física, enfatizando-se o rigor na linguagem e a aplicação dos conhecimentos ao equacionamento e resolução metódica de problemas reais. Com as aulas de laboratório pretende-se a aprendizagem de métodos experimentais em Física, a sistematização da recolha e tratamento de resultados experimentais e a elaboração de relatórios científicos.
 
Programa:    
Conceitos Gerais: Grandezas, medidas, incertezas, dimensões e unidades. O espaço e o tempo. Referenciais. Os modelos da mecânica.
Cinemática: Os conceitos de velocidade e aceleração. Determinação da velocidade e do vector posicional a partir da aceleração. Movimento relativo de translação uniforme, transformação de Galileu.
Dinâmica da Partícula: Referenciais de inércia. Conservação do momento linear, do momento angular e da energia. Referenciais não inerciais.
Dinâmica de Sistemas de Partículas: Centro de massa e referencial do centro de massa. Conservação do momento linear, do momento angular e da energia. Colisões. Sistemas de massa variável.
Dinâmica do corpo rígido: Conservação do momento linear, do momento angular e da energia na translação e rotação em torno de um eixo. Movimento geral; de rolamento. Equilíbrio do corpo rígido.
Movimentos Oscilatórios: Movimento oscilatório harmónico.
 
Métodos de Ensino:    

1. Ensino centrado na actividade contínua do aluno

2. Para a compreensão dos conceitos e leis da Física, dá-se um a visão mista, englobando teoria e experiência (introduzindo-se também alguma computação para aquisição de dados e simulação). Nas aulas laboratoriais, para além da ilustração das leis da Física, é dado ênfase à metrologia.

3. Envolvimento contínuo dos alunos (para além das aulas teóricas e laboratoriais) através de:

3.1 Realização on-line, através da plataforma Moodle, de testes de auto-avaliação sobre cada capítulo (9).

4. Exigência de preparação prévia para as aulas laboratoriais:
4.1 Testes de auto-avaliação sobre cada trabalho prático com nota positiva.
 
Métodos de Avaliação:    

Método de Avaliação para Física I – 2007/2008

A partir do corrente ano lectivo:

    Para os alunos sem frequência em anos anteriores a 2007/2008:

1.1.Avaliação da Componente experimental

A classificação da componente experimental corresponde à classificação obtida na parte laboratorial da disciplina, arredondada à unidade. As regras de avaliação nessa componente serão apresentadas na primeira aula prática.

Um aluno obtém aprovação nesta componente se a correspondente classificação for igual ou superior a 10 (dez).

1.2.Avaliação da Componente teórica:

A aprovação nesta componente exige, cumulativamente:

1. A participação activa em pelo menos 2/3 das aulas teórico-práticas.

2. A realização (nas aulas teórico-práticas) de três testes.

A classificação da componente teórica é a média aritmética das classificações obtidas nos três testes, arredondada à unidade (a classificação de cada teste é aproximada à décima). A ausência num teste implica a classificação da 0 (zero) nesse teste.

Um aluno obtém aprovação nesta componente se a correspondente classificação for igual ou superior a 10 (dez).

1.3.Obtenção de Frequência

Um aluno que obtenha classificação igual ou superior a 10 na Avaliação da Componente experimental e, cumulativamente, que tenha participado activamente em pelo menos 2/3 das aulas teórico-práticas é considerado como tendo obtido frequência nesta disciplina no corrente ano lectivo.

1.4.Aprovação na Disciplina1.4.1. Época normal de avaliação

Um aluno obtém aprovação na disciplina se tiver obtido aprovação na Componente Experimental, de acordo com 1.1, e na Componente Teórica, de acordo com 1.2.

1.4.2. Época de Recurso

Um aluno que tenha obtido aprovação na Componente Experimental mas não tenha obtido aprovação na componente teórica poderá, se tiver participado activamente em 2/3 das aulas teórico-práticas, apresentar-se à avaliação de recurso. Nestas condições, a aprovação na componente teórica exige que a classificação na avaliação de recurso seja igual ou superior a 10 (aproximada à unidade).

1.5.Classificação final

A classificação final na disciplina para um aluno que obteve aprovação é a média aritmética aproximada à unidade, das classificações das Componentes Experimental e Teórica (cada uma das quais aproximada à unidade), eventualmente acrescida de bonificações obtidas de acordo com o ponto seguinte.

1.6.Bonificações na classificação final

Um aluno que tenha obtido aprovação na disciplina nos termos do ponto 1.4., terá a sua classificação final acrescida, cumulativamente, de:

· 0,5 valores se a classificação no 1.º teste for igual ou superior a 10;

· 0,5 valores se a classificação no 2.º teste for igual ou superior a 10;

· 1 valor se a classificação no 3.º teste for igual ou superior a 10.

Após a adição das bonificações a classificação final é arredondada à unidade.

    Para os alunos com frequência obtida em anos anteriores a 2007/2008:

2.1.Avaliação da Componente Experimental

Os alunos são considerados aprovados na Componente Experimental (sem classificação numérica)

2.2.Avaliação da Componente Teórica:

A aprovação nesta componente exige:

A realização (nas aulas teórico-práticas) de três testes.

A classificação da componente teórica é a média aritmética das classificações obtidas nos três testes, arredondada à unidade (a classificação de cada teste é aproximada à décima). A ausência num teste implica a classificação da 0 (zero) nesse teste.

Um aluno obtém aprovação nesta componente se a correspondente classificação for igual ou superior a 10 (dez).

2.3.Aprovação na Disciplina2.3.1. Época Normal de avaliação

Um aluno obtém aprovação na disciplina se a classificação na Componentes Teórica (aproximada à unidade) for igual ou superior a 10 (dez).

2.3.2. Época de Recurso

Um aluno que, tendo comparecido aos três testes de avaliação, não tenha obtido aprovação na componente teórica, poderá apresentar-se à avaliação de recurso. Nestas condições, a aprovação na componente teórica exige que a classificação na avaliação de recurso seja igual ou superior a 10 (aproximada à unidade).

2.4.Classificação final

A classificação final na disciplina para um aluno que obteve aprovação na Disciplina é a classificação da Componente Teórica (aproximada à unidade), eventualmente acrescida de bonificações obtidas de acordo com o ponto seguinte.

2.5.Bonificações na classificação final

Um aluno que tenha obtido aprovação na disciplina nos termos do ponto 2.4., terá a sua classificação final acrescida (até ao valor máximo de 20), cumulativamente, de:

· 0,5 valores se a classificação no 1.º teste for igual ou superior a 10;

· 0,5 valores se a classificação no 2.º teste for igual ou superior a 10;

· 1 valor se a classificação no 3.º teste for igual ou superior a 10.

Após a adição das bonificações a classificação final é arredondada à unidade.

2.6.Casos especiais

Os alunos que não possam comparecer nos testes realizados nas aulas teórico-práticas por razões consideradas aceitáveis pelo Conselho Pedagógico, poderão, excepcionalmente, ser autorizados a submeter-se apenas à Avaliação da Época de Recurso.

Outras Informações

    Aluno com frequência em anos anteriores a 2007/2008

É um aluno que esteve inscrito em anos anteriores a 2007/2008 na disciplina de Física I e obteve aprovação apenas na componente experimental.

    Testes

2.1. Local, duração

Os testes realizar-se-ão na aula teórico-prática e terão a duração de 1 hora e 10 minutos.

2.2. Matéria para cada teste

Cada teste incidirá sobre toda a matéria coberta na disciplina até à aula anterior ao teste.

2.3. Recursos

A utilização de máquina de calcular é permitida. Será fornecido um formulário, se tal for considerado necessário. Os alunos deverão ser portadores de um cartão de identificação com fotografia.

    Participação activa numa aula teórico-prática

Esta participação implica a comparência na sala (não sendo tolerados atrasos superiores a 5 minutos após o início da mesma) e a colaboração nas actividades da aula. Esta colaboração é comprovada pela entrega, devidamente preenchida e identificada, da folha de actividades que com antecedência é colocada nas páginas da disciplina no Moodle e no CLIP.

No presente ano lectivo, 2/3 das aulas teórico-práticas correspondem a 18 (dezoito) aulas.

Um aluno cujo comportamento seja considerado pelo docente como perturbador das actividades na aula pode ter ser convidado a abandonar a mesma, não lhe sendo contada a presença para efeitos de frequência.
 
Bibliografia:    

1. Halliday, Resnick & Walker, Fundamentals of Physics (6th ed)

2. Halliday, Resnick & Walker, Fundamentos de Física, vol.1, 2 (6ª ed)

3. Alonso e Finn, Física, vol. 1
 
Carga horária:    
4,5h por semana